Sete erros ao utilizar os celulares corporativos

Muitos funcionários, em virtude das necessidades do trabalho, precisam utilizar celulares corporativos. Os recursos originais e os apps instalados nesses aparelhos ajudam a otimizar as tarefas, que são realizadas em menos tempo.

É preciso ter cuidado ao manusear os celulares da empresa, pois o mau uso pode prejudicar a produtividade e gerar transtornos para uma companhia.

Neste artigo, abordaremos erros cometidos na utilização de smartphones corporativos e como evitá-los.

 

  1. Instalar qualquer aplicativo

O primeiro erro ao usar celulares da empresa é baixar aplicativos sem o devido cuidado. Os aparelhos devem servir unicamente para executar tarefas profissionais com mais agilidade e flexibilidade. Baixar apps de jogos ou acessar as redes sociais tira o principal propósito do celular e ainda oferece riscos aos dados institucionais.  

 

  1. Não manter os apps atualizados

Os aplicativos estão sempre sendo modificados. Por isso, deixar de atualizá-los representa uma queda na qualidade do sistema em virtude dos bugs que podem aparecer.

A atualização dos softwares também é importante para usar recursos mais avançados que possibilitam aumentar o rendimento do funcionário.

Ignorar as melhorias nos apps é mais um erro ao usar celulares da empresa. Isso justifica você ficar atento a todas as atualizações.

 

  1. Não limpar documentos e aplicativos fora de uso

A manutenção da quantidade de documentos, arquivos e aplicativos auxiliam a manter o bom funcionamento dos celulares corporativos. Manter arquivos obsoletos e apps pouco usados prejudicam a performance do hardware e do software, além de afetar a capacidade de armazenamento.

Reserve um momento do dia para limpar esses arquivos e manter o bom funcionamento do smartphone.

 

  1. Utilizar os celulares corporativos fora do expediente

O celular corporativo foi dado pela empresa para utilizá-lo durante o expediente, salvo alguns casos específicos. Em algumas situações, o uso fora do ambiente de trabalho pode gerar implicações legais tanto para a empresa quanto para o funcionário.

 

  1. Não pensar na segurança

Além de verificar os aplicativos baixados, é importante lembrar que, ao usar os celulares corporativos, o empregado está com informações institucionais que, em alguns cenários, não devem se tornar públicas.

Por isso, o smartphone deve conter ferramentas de segurança para proteger os dados. Do contrário, as chances de o aparelho ser invadido aumentam consideravelmente.

 

  1. Abusar da liberdade

A regra geral nesse ponto é ter bom senso e não abusar da liberdade. Receber um celular com um plano de telefonia demonstra que a empresa confia no empregado e o considera importante para a boa execução dos serviços.

É essencial ter bom senso, porque o uso indevido do aparelho pode impactar negativamente nos gastos da companhia.

 

  1. Baixar aplicativos proibidos

Você é viciado em jogos de celular e corre para baixar seu preferido? Se a resposta é sim, faça isso com o seu smartphone pessoal.

Os jogos eletrônicos representam riscos à segurança dos celulares ao solicitar permissões de acesso à câmera ou à lista de contatos. Comprometer os dados da instituição para satisfazer um impulso é mais um erro ao usar celulares da empresa.

2015 / Desenvolvido pelo PRODEST utilizando o software livre Orchard